A PARÁBOLA DOS TALENTOS

  ( Evangelho de Mateus cap. 25 vers. 14-29 )  

14- Pois será como um homem que, ausentando-se  do país,

      chamou os seus servos e lhes confiou os seus bens.

15- A um deu cinco talentos, a outro, dois e a outro ,um a

      cada um segundo a sua própria capacidade; e, então,

      partiu.

16- O que recebera cinco talentos saiu imediatamente a negociar

      com eles e ganhou outros cinco.

17- do mesmo modo, o que recebera dois ganhou outros dois.

18- Mas o que recebera um , saindo, abriu uma cova e escondeu

     o dinheiro do seu senhor.

19- Depois de muito tempo , voltou o senhor daqueles servos e

      ajustou contas com eles,

20- Então, aproximando-se o que recebera cinco talentos, entregou

      outros cinco, dizendo : Senhor , confiaste-me cinco talentos ;

      eis aqui outros cinco talentos que ganhei.

21- Disse-lhe o Senhor : Muito bem, servo bom e fiel ; foste fiel no

      pouco , sobre o muito te colocarei ; entra no gozo do teu Senhor .

22- E, aproximando-se também o que recebera dois talentos ; disse :

      Senhor, dois talentos me confiaste ; aqui tens outros dois    que

      Ganhei .

23- Disse-lhe o Senhor : Muito bem, servo bom e fiel; foste fiel no

      pouco, sobre o muito te colocarei ; entra no gozo do teu Senhor.

24- Chegando, por fim, o que recebera um talento, disse : Senhor ,

      sabendo que és homem severo, que ceifas onde não semeaste  e

     ajuntas onde não espalhaste,

25-receoso, escondi na terra o teu talento; aqui o que é teu .

26-Respondeu-lhe, porém, o senhor : Servo mau e negligente, sabias

     que ceifo onde não semeei e ajunto onde espalhei ?

27- Cumpria, portanto, que entregasses o meu dinheiro aos banqueiros;

      e eu, ao voltar, receberia com juros o que é meu.

28- Tirai-lhe , pois, o talento e daí-o ao que tem dez.

29- Porque a todo o que tem se lhe dará, e terá em abundância ; mas ao

      que não tem, até o que  tem lhe será tirado.

30- E o servo inútil,lançai-o para fora, nas trevas. Ali haverá choro e

      ranger de dentes.

 

   Lição que extraímos :

 

      Quanto á conta dos talentos temos nesta parábola , a quem um homem

encomendou diferentes conjuntos de coisa de valor : riquezas, haveres , etc.

para que negociassem com eles, enquanto fazia uma certa jornada.  O homem

é Cristo , a jornada foi a de sua subida ao céu e a tornada há de ser no dia do Juízo,

em que há de pedir conta a cada um , do que negociou com os talentos que lhe deu,

e do que lucrou e ganhou com eles.  Os talentos são os meios com que a Providência

Divina assiste a todos os homens, e a cada um para a sua salvação e perfeição.

      Quão exata pois haja de ser esta conta , e quão rigorosa para os que usarem mal o

talento.   Os servos , a  quem o homem (Cristo) fiou os talentos , eram três :  ao

primeiro entregou cinco, o qual granjeou outros cinco; ao segundo entregou dois, o qual

granjeou dois, e ambos foram louvados . Ao terceiro deu um só talento, o qual  ele enterrou.

E posto que na conta o ofereceu outra vez e restituiu inteiro, porque não tinha negociado com ele, nem adquirido coisa alguma , o homem (Cristo) não só o lançou fora de casa e o mandou

privar do talento, mas o pronunciou por mau servo, que foi a sentença de sua condenação.

E se quem na conta torna a entregar o talento que Deus lhe deu inteiro e sem defraude se  condena; que será dos  que o desbaratam e perdem e talvez o convertem contra si e contra  o

mesmo Deus.

         Não só são talentos os dotes da natureza, os bens da fortuna e os dons particulares da

graça ; o ilustre nascimento, senão o humilde; não só as dignidades altas, senão o lugar e ofício abatido, não só as riquezas, senão a pobreza, não só o descanso, senão o trabalho.

Finalmente nas graças ou dons da graça, não só é graça o dom de línguas , mas o não saber

falar , ou ser mudo; não só o das letras e ciências , senão o da ignorância.  A razão desta verdade interior e providência verdadeiramente divina, é, porque todas estas cousas, posto

que entre si contrárias , podem ser meios, que igualmente nos levam à salvação e promovam à virtude, principalmente sendo distribuídos por Deus e aplicados conforme o gênio de cada um, que por isso diz o texto, que foram dados os talentos.  

VOLTAR AO ÍNDICE DAS PARÁBOLAS